Dinheiro do crime para pagar advogados

por Ricardo Gama

Em meio à polêmica sobre o projeto que endurece o combate a lavagem de dinheiro, o promotor de Justiça Arthur Lemos Junior sustenta que advogado não pode ser pago com dinheiro obtido criminosamente. “Esse dinheiro não pertence ao acusado, ao indiciado, portanto não pode ser entregue ao advogado, precisa ser devolvido, apreendido, sequestrado e confiscado com a notícia do crime”, ele argumenta.
Para o promotor, todo advogado deve ser obrigado a justificar a fonte dos recursos que recebe. “Advogado não pode receber dinheiro de origem ilícita como pagamento de honorários. Na Alemanha se impõe essa obrigatoriedade de o advogado prestar informações”, destaca o promotor, especialista em investigações sobre corrupção e malversação de recursos públicos.

Lemos Junior atua no Grupo de Atuação Especial de Repressão à Formação de Cartel e à Lavagem de Dinheiro, braço do Ministério Público Estadual. Ele vê avanços na redação do projeto 3.443, aprovado pela Câmara, que altera a Lei 9.613/98 e estabelece regras para tornar mais rigoroso o cerco às organizações criminosas que lavam capitais por meio da ocultação e dissimulação de bens amealhados pela via do peculato e malfeitos em geral. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


P.S.: Concordo com Lemos Junior.  Quem protege os bandidos que atiraram em Ricardo Gama?

Dinheiro do tráfico. Do tráfico de moedas para os paraísos fiscais. O dinheiro lavado do crime de colarinho (de) branco. O dinheiro das propinas dos serviços fantasmas. Das obras superfaturadas.  Não é para enriquecer advogado de porta de palácio.
Dinheiro do tráfico. De drogas. De armas. De sexo. De pessoas. De órgãos. Não é para enriquecer advogado de porta de cadeia.
Bandido é bandido. Todo criminoso tem direito à defesa, sim. Tem direito de ter um advogado. Que procure a justiça gratuita. Como faz todo brasileiro honesto que trabalha.

Quem ganha um salário mínimo não pode pagar advogado. Não tem como. 99 por cento dos brasileiros dependem da justiça gratuita.
Quem recebe dinheiro de ladrão  é cúmplice. Seja ele ladrão de casaca, de gravata ou descamisado.
Vale para o advogado. E outras profissões.
No caso de doença: que procure os hospitais públicos. Como faz qualquer brasileiro honesto pendurado no bolsa família, que recebe pensão da previdência social, idem aposentadoria, ou que trabalha pelo salário mínimo do mínimo.
Não esquecer que mais da metade da população brasileiro tem rendimento mensal de até R$ 375. (T.A.)

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s