Estudantes contra a polícia de Alckmin

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, demonstrou que não está disposto a atender às reivindicações dos estudantes da Universidade de São Paulo (USP), que ocuparam o prédio da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), após um confronto com a Polícia Militar, que faz a guarda do campus. “A posição do governo é atender à USP”, disse.

A União Estadual dos Estudantes de São Paulo (UEE-SP) divulgou nota repudiando a violência da Polícia Militar ocorrida na última quinta-feira dentro do campus da Universidade de São Paulo (USP). A UEE-SP quer demonstrar solidariedade com aqueles estudantes que foram agredidos e que hoje ocupam, como forma de protesto, o prédio da Faculdade de Filosofia, História e Geografia (FFLCH).

De acordo com a nota, o livre trânsito da PM dentro do campus, permitido por meio de um convênio entre a reitoria da USP e a PM, está “na contramão do conceito do território livre que deve ser a universidade”. O convênio assinado no dia 8 de setembro, após o assassinato a tiros do estudante Felipe Ramos de Paiva, 25 anos, nas dependências do campus, permite que a PM faça o policiamento ostensivo na universidade.
“É inadmissível que policiais usem a força repressora do Estado dentro do campus, ambiente livre para o pensamento e a livre circulação do pensamento”, diz a UEE-SP.

Veja vídeo da imprensa tradicional e contrária aos estudantes

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s