Cadê a justiça que não bota os ladrões na cadeia?

É assim que as almas sebosas constroem casas para o povo. Casa de palha. De barro. O banheiro do lado de fora. E eles, os lá de cima, com cagador que parece um trono, para ler jornal e revista pornô; e banheiro com chuveiro e banheira, água quente e fria e morna. Tem até sauna. Tudo no maior luxo. E espaço para mais de um. Para amor a dois, a três. Uma suruba com dinheiro do povo.

“Balanço realizado pelo TCE do Ceará aponta que, de 800 banheiros que deveriam ter sido construídos em Cascavel, Chorozinho, Pacajus e Horizonte, apenas 54 foram executados. O dinheiro liberado foi de R$ 1.6 milhão. Cada banheiro saiu por R$ 29.629,63”.

Bando de almas sebosas. Projetam banheiros marca chiqueiro – pra eles, o povo não merece nada melhor!
Banheiros para choças, mocambos, casas que a chuva derrete. É o Brasil Colônia Internacional. Das estatais privatizadas. Das empresas desnacionalizadas. Da vocação agrícola. De bandidos nos três poderes.

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s