Stalking da justiça

 

O absolutismo da justiça, com seus engavetamentos de processos, com suas decisões suspeitas, com despachos nas esquinas ora contra ora afavor, como se a verdade tivesse duas caras. Com juiz de duas canetas.  Idem desembargador que nomeia como assessores advogados que atuaram no processo como acusadores, ou escuta a defesa particular de advogado privilegiado por ocupar alto cargo na justiça, como procuradora, e esposa de juiz amigo. O servo advogado laranja. O poder da banca de advocacia blindada. Uma defesa que cobra um alto preço. E não indaga a origem do dinheiro. Uma justiça cara.

No correr de um longo, demorado, arrastado processo, pode acontecer vários tipos de violência. Stalking. Assédio moral. Vou tratar aqui dessa tortura.

Baiardo Andrade Lima foi quem primeiro tratou desses temas neste Brasil cruel. De uma justiça PPV.

Por denunciar o escabroso caso Christine Epaud, venho sendo ameaçado. Vade retro Satana! Quem tem medo não faz jornalismo.

 

Publicado por

Talis Andrade

Jornalista, professor universitário, poeta (13 livros publicados)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s